Empresa Águas de Niterói comete crime hediondo

13 07 2010

Por Marcelo Salles, do Fazendo Media

Eu acuso a empresa Águas de Niterói, que opera no Rio de Janeiro, de cometer um crime hediondo. Um crime contra a vida. E me sinto muito à vontade para fazer essa denúncia, mesmo que a vítima seja a minha mãe. Por um motivo muito simples: eu faria a mesma coisa por qualquer outra pessoa que estivesse nessa situação, aliás, como tenho feito desde que fiz o seguinte juramento em troca do diploma de Jornalista profissional: “A Comunicação é uma missão social. Por isto, juro respeitar o público, combatendo todas as formas de preconceito e discriminação, valorizando os seres humanos em sua singularidade e na luta por sua dignidade”.

O fato é que a empresa privada ÁGUAS DE NITERÓI cortou a água na casa de minha mãe. Motivo: ela se recusou a pagar uma conta superfaturada emitida pela empresa, no valor de 800 reais. Quando essa conta absurda chegou, ela não pegou o telefone. Ela foi até a empresa. Aliás, ela foi duas vezes. Lá chegando, explicou que essa conta estava errada, porque o valor médio gasto por mês é 100 reais. A empresa reconheceu o erro e refez a conta: 500 reais, o que continuou muito acima do valor médio. Minha mãe se recusou a pagar novamente, sobretudo porque o motivo do aumento da conta foi um vazamento numa obra realizada pela própria empresa. A ÁGUAS DE NITERÓI disse que entraria em contato, por telefone. Não entrou. Em vez disso, mandou um aviso por escrito, com a ameaça de corte.

Minha mãe se manteve firme e acionou a Justiça. Apesar do câncer que a consome há um ano e meio, ela não se vergou diante das ameças dessa empresa covarde. (pra quem não sabe, minha mãe tem câncer no pulmão com metástase no cérebro. Ela fez duas cirurgias no ano passado, mas infelizmente o câncer voltou este ano: cinco nódulos nos pulmões).

Nesta sexta-feira, dia 9 de julho de 2010, a empresa ÁGUAS DE NITERÓI enviou os algozes, que cortaram o fornecimento de água. Importante: minha mãe avisou à empresa que estava em meio a um tratamento de câncer. E enquanto os funcionários da empresa estavam em sua casa, cortando o fornecimento do bem mais elementar para a vida, a água, minha mãe estava fazendo mais uma sessão de quimioterapia. Ela lutando pela vida, a empresa cortando o acesso à água. Está tudo documentado, temos o registro médico e o laudo do oncologista. Imaginem vocês. Para uma pessoa com a saúde em perfeito estado já é um tanto complicado imaginar a vida sem água. E uma pessoa com câncer, que tem uma série de restrições e necessidades especiais! A legislação brasileira garante a isenção de diversos impostos para pacientes com essa doença, como Imposto de Renda, IPVA, IPTU, entre outros. Está mais do que evidente que o fornecimento de água jamais poderia ser interrompido.

Hoje, sábado, por volta das 16h30, telefonei na ÁGUAS DE NITERÓI. Falei com uma funcionária que se identificou como Simone Diniz e a ligação durou entre 15 ou 20 minutos. Expliquei a ela toda a história, inclusive que a empresa havia desligado a água da casa de uma pessoa que faz tratamento para câncer. Que o desligamento ocorreu no mesmo dia da sessão de quimioterapia. Disse e repeti que minha mãe quer pagar a conta, no valor justo, mas que isso tem de ser feito com a água ligada. Pedi três vezes para a empresa religar a água, o que foi negado. O número do protocolo informado foi 303964. Ela disse que não pode fazer nada até que a conta seja paga.

Eu gostaria muito de saber se a ÁGUAS DE NITERÓI vai pagar pelos tranquilizantes que estão sendo adicionados às inúmeras drogas para combater o câncer que minha mãe está sendo obrigada a tomar. E também se essa empresa poderá ser responsabilizada judicialmente caso o estado de saúde de minha mãe venha a piorar por conta de todo o estresse que ela vem passando com as ameaças e o corte de fornecimento de água.

Caros amigos, queridas amigas, esse é um dos momentos em que venho pedir a ajuda de vocês. Repassem essa mensagem, espalhem pelo twitter, telefonem para a empresa, digam aos funcionários o tamanho do crime que está sendo cometido. Para nós o mais importante é que o fornecimento de água seja restabelecido imediatamente. Se vocês pressionarem, talvez eles se deem conta do erro e religuem a água, principal elemento da vida. Vida, algo que parece não estar entre as prioridades das empresas privadas.

O telefone da ÁGUAS DE NITERÓI é 0800 723 1222.

O telefone da AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS (empresa que regula as fornecedoras no país): 61.2109-5400.

Muito obrigado,
Marcelo Salles

Anúncios




As cores da casa

23 02 2010

É inegável a sedução provocada pelo programa Big Brother Brasil. Também não podemos negar como a fórmula deu certo no Brasil, onde já está na décima edição, e em outros países a audiência não fora tão grande. Sem hipocrisia, vê BBB quem quer, não importa se é intelectual, adolescente, dona de casa. Esse papo de que BBB é coisa de gente ignorante precisa ser superado. E não vimos aqui fazer a defesa da cultura de massa como única possível, apenas não podemos fechar os olhos para a realidade. O Big Brother é um programa que alimenta discussões e impulsiona as massas à refletirem sobre certos valores, inclusive sobre a sociedade. O BBB 10 trouxe 3 homossexuais assumidos, uma polêmica enorme tendo em vista a re-participação de um ex-bbb assumidamente homofóbico: Marcelo Dourado.

Sobre o assunto, Jean Willys, vencedor do Big Brother 5 escreveu o texto abaixo que foi publicado na Revista da TV, suplemento do jornal O Globo no dia 14/02.

________________________________________________________________________________________

As cores da casa

Por Jean Wyllys

A maneira apaixonada com que as audiências se relacionam com o Big Brother Brasil é espantosa! Nem mesmo as telenovelas provocam tanta paixão! Até mesmo a classe média que se diz letrada acabou admitindo que não só vê o programa como também se envolve com seus personagens e conflitos; e as provas dessa rendição são o fato de o BBB ser o assunto predominante em blogs e perfis virtuais de “descolados” e atores de televisão e o fato de O Globo ter me encomendado este artigo. O BBB nunca foi entretenimento apenas de pobres e ignorantes. Porém, foram necessárias cinco edições para que os “instruídos” começassem a admitir que o programa levanta questões éticas, morais e culturais que nos dizem respeito.

Esta décima edição do BBB traz, como conflito principal, o embate entre a ordem heterossexual e as homossexualidades, graças ao fato de os realizadores do programa terem colocado, entre os participantes que disputam o prêmio de um milhão e meio de reais, uma lésbica e dois gays, sendo, um deles, uma drag queen, e o outro, um pós-adolescente bastante afeminado. Estes três homossexuais assumidos foram reunidos num time que os realizadores resolveram batizar de “coloridos” e que disputaria as provas com os times “sarados”, “ligados”, “cabeças” e “belos”. Essa idéia de dividir os participantes em times não foi bem sucedida principalmente no caso do “coloridos”. Talvez por causa da homofobia internalizada ou da falta de consciência do coletivo do qual fazem parte, Sérgio, Angélica e Dicésar não criaram laços afetivos mais fortes nem alianças apara avançar no jogo. É sintomático que Sérgio não tenha se tornado amicíssimo de Dicésar e vice-versa: o fato de crescer e viver sob todo tipo de injúria faz com que exista um “anti-homossexual no fundo de todo homossexual”, como disse Proust.

Mas apesar dessa ressalva, é preciso admitir que as presenças de Dicésar, Sérgio e Angélica no BBB10 dão uma enorme visibilidade aos homossexuais no horário nobre da tevê aberta de maior audiência do país – o que não é pouca coisa, tendo em vista que, mesmo em pleno século XXI e depois de lésbicas, gays e transexuais terem se organizado politicamente, raros são os programas de tevê e publicidades que representam os homossexuais ou reconhecem sua existência como espectadores ou consumidores. Além de escolherem três homossexuais assumidos, os realizadores do BBB selecionaram concorrentes que, seja por virem de centros urbanos, onde vigora a cultura gay, seja por terem educação formal, são simpatizantes da causa LGBT e até cogitam a hipótese de viverem experiências homossexuais; a única exceção é Marcelo Dourado.

O simples fato de o BBB10 mostrar gays, lésbicas e heterossexuais convivendo sem que suas orientações sexuais lhes ponham em conflitos (à exceção de Marcelo Dourado, volto a dizer) é gerador de liberdade para os homossexuais. Mas, parte significativa da audiência masculina do programa não gostou disso e se afastou dele; e outra parte da audiência heterossexual começou a acusar o BBB10 de fazer “proselitismo homossexual”, ou seja, de incitar as crianças e jovens a se tornarem gays e lésbicas por assistirem às performances exibicionistas de Dicésar e Sérgio, sobretudo as deste último. Ora, nunca se ouve ninguém falar em “proselitismo heterossexual”, entretanto, o que mais se tem na tevê são performances de heterossexuais. Além disso, os gays e lésbicas ficaram expostos durante toda sua infância às performances televisivas de heterossexuais e nem por isso deixaram de se tornar homossexuais.

Ante tal reação de parte expressiva da audiência, não é de espantar que Marcelo Dourado tenha despontado como o favorito ao prêmio. Dourado tornou-se o porta-voz da ordem heterossexual que se sente ameaçada pela presença dos “coloridos” e dos que simpatizam com eles. Ele se converteu no “herói” da resistência daquela masculinidade que busca se afirmar contra a homossexualidade. Sua reação agressiva à insinuação de Bial de que Dicésar estaria apaixonado por ele (Dourado) é um exemplo disso. Foi Dourado quem veio com a história de “heterofobia”, como se isso existisse (dizer-se vítima de “heterofobia” é o último recurso daqueles que tentaram a todo custo silenciar ou envergonhar os homossexuais à sua volta, mas, não conseguiram). Todas as falas de Dourado são misóginas e repousam igualmente na exclusão da homossexualidade. Não nos esqueçamos de que ele reagiu mal à afirmação de Dicésar de que há uma “diva” dentro de cada pessoa, e de que, num arrobo de ignorância e arrogância, afirmou que apenas gays contraem HIV. Mesmo assim – ou talvez por isso mesmo – ele é o favorito ao prêmio dessa edição.

Há homossexuais que responsabilizam Sérgio e Dicésar pela ascensão de Dourado na preferência das audiências. Os dois, com suas “bichices” exageradas ou “afeminações” afetadas, estariam construindo uma imagem negativa dos homossexuais. Ora, por que ser feminino é algo negativo? É preciso que esses gays se interroguem sobre essa ilusão que mantêm de que basta que arvorem os brasões da masculinidade para que a imagem da homossexualidade se torne positiva. Aos olhos dos heterossexuais, somos sempre meio mulheres, por mais viris que sejamos. Além disso, um dos traços característicos da homossexualidade masculina é o jogo como a feminilidade, mesmo que os gays mais viris não queiram admiti-lo. Por outro lado, é certo que Dicésar e, principalmente, Sérgio correspondem àqueles estereótipos e ao exotismo que serve ao riso nos quais a ordem heterossexual gostaria de confinar gays e lésbicas para, assim, impedi-los de aspirar à ordem social, ou melhor, à conquista de direitos como o casamento civil e a adoção de crianças. Nesse sentido, a presença desses homossexuais no BBB não é subversiva nem desestabilizadora.

Texto por Jean Willys, ex-bbb, professor e jornalista. também disponível em:  http://bloglog.globo.com/jeanwyllys/





Bloco de Carnaval ‘Fala Puto que Eu Te Escuto’ Hoje!

11 02 2010

É hoje!! Não percam!

Ei! Psiu… chega de só ouvir e dar boa noite pro “casal 20 do plim – plim”. Fala Puto que Eu Te Escuto! Vem, vem, vem… é nessa sexta (12) às 20h na praça Cinelândia. Fale, cante e grite, mas não venha só! Traga seu tamborim, cuíca, corneta, caixa de fósforos, panela…

Fala Puto que Eu Te Escuto, um bloco recém nascido com pimenta na boca! Formado por comunicadores populares que pulam, gritam, pintam e bordam o ano inteiro pelo direito à comunicação.

Bloco de Carnaval Fala Puto que Eu Te Escuto
Sexta, 12 de fevereiro, às 20h
Local: Na Cinelândia, na esquina do Odeon, Centro do Rio
Mais informações: 7866-2630 / 9114-6211

O samba de estreia do bloco, do qual a Vírus Planetário também participa, está abaixo:





Cartilha de Direitos Autorais para MC’s: LIBERTA O PANCADÃO – O MANUAL DE DEFESA DO ARTISTA DO FUNK

8 01 2010

No final de 2009, participamos em conjunto com a Associação dos Profissionais e Amigos do Funk (APAFunk) e o movimento Direito para quem? (DPQ?) da elaboração da cartilha “Liberta o Pancadão”. O documento será utilizado pela APAFunk para a conscientização de MCs no que diz respeito aos seus direitos, além de se posicionar firmemente contra o preconceito existente em relação a esse gênero musical.

Clicando na imagem abaixo, você pode conferir a cartilha:





Curso de Jornalismo Prático: O manual do colunista

25 11 2009

Agora que a obrigatoriedade do diploma para exercício da profissão caiu, o Blog do Sakamoto reforça o seu Curso de Jornalismo Prático. Já em sua terceira aula (a primeira e a segunda, sobre o Disk-Fonte: O Jornalismo Papagaio de Repetição, foram um sucesso), o Curso é elaborado em conjunto com amigos que são grandes repórteres e conhecem como ninguém o universo das redações. Para esta aula, um deles foi certeiro na análise do problema, criando um manual que será de grande utilidade aos recém-formados, mas também àqueles com mais quilometragem que querem “chegar lá”.

Quer virar colunista ou editorialista de jornalão impresso, de um telejornal noturno ou de uma revista semanal de grande circulação? Fácil. Basta seguir esse manual. Para cada tema polêmico da atualidade, há um repertório de cinco argumentos que devem ser repetidos ad nauseum, sem margem para hesitação. Pintou o tema, escolha um dos cinco argumentos abaixo e tasque na sua coluna. Se quiser, use mais de um. Você é a estrela.

Uma dica: para sua coluna parecer diversificada, democrática, procure colocar alguns dos argumentos abaixo na boca de “especialistas”. Veja a lista de nossos especialistas no Disk -Fonte e escolha livremente. Se já estiver na hora do fechamento e ninguém atender, ligue para o Demétrio Magnolli, pois esse está sempre à disposição e discorre sobre qualquer assunto. Ele é fera. Clique aqui para ler o resto





MEIO AMBIENTE EM FOCO MUNDIAL

9 09 2009

por Fernanda de Paula1204115050

Com o tempo contado até a reunião de Copenhagen , diversos países do mundo falam sobre suas metas na redução das emissões de gases  poluentes.

 No Japão o futuro primeiro ministro dá um grande avanço em relação ao governo anterior ao anunciar que tem como meta a diminuição dos gases-estufa em 25% até 2020. A  notícia vinda do Japão trouxe otimismo para a comunidade internacional e pode ser vista como um incentivo para que outras nações tomem atitudes semelhantes.

Como se sabe os avanços desse porte em questões ambientais não são bem vistos por empresas de grande porte, que podem ver seus interesses econômicos serem abalados, lá a proposta não foi bem vista por  industriais que dizem ser muito difícil o pais conseguir tal proeza.

Já Barack Obama foi menos audacioso com sua proposta de corte em apenas 17% até 2020, se alcançada a meta , on níveis de emissões americanos se igualariam aos de 1990.

Países desenvolvidos são os grandes responsáveis pelas mudanças climáticas. Por Kioto as nações em desenvolvimento não tem metas de redução de emissões, para os mais pobres fica ao cargo deixar de emitir o que for possível  e como prioridade têm a redução da pobreza.

  Nesse cenário o Brasil, que tem como maior fonte poluente o desmatamento, o Brasil deve propor em Copenhague reduzir em 30% suas emissões.

Tomando o caminho inverso a  Índia diz que  vai aumentar consideravelmente suas emissões que passarão das 4 bilhões toneladas por ano para 7,3 bilhões em 2031, o que deve surtir efeito num contexto global.      

 Enquanto isso, na China será construída a maior usina solar do mundo, acelerando o desenvolvimento de energias renováveis no país.





Cartazes de guerra

8 07 2009

Depois de passar pela França, Itália, Alemanha e Suécia chega ao 
Museu Histórico Nacional (MHN) do Rio de Janeiro a exposição “Cartazes de guerra”. A mostra reune 95 cartazes do conturbado período da guerra civil espanhola e tem, além do óbvio conteúdo político, importantes traços de vanguardas estéticas como o construtivismo russo, por exemplo.

cartaz_no_pasaran

Aproveitando a viagem, vale a pena dar uma olhada na exposção “Tesouros do Louvre”, também no MHN, composta por vinte esculturas do francês Jean-Antoine Houdon (1741-1828), pertencentes ao Museu do Louvre, em Paris. O acervo reúne bustos e placas de personalidades como Rousseau, Voltaire, Diderot, Condorcet, Mirabeau, Benjamin Franklin e George Washington.